PÓS GRADUAÇÃO 2018.1 INSCREVA-SE AQUI X (24) 9 8120-0331 (24) 2453-0700


De olho na conjuntivite!

Doença tem ocasionado mais de 100 atendimentos diários no Hospital Escola

Postado em 21/03/2018 11:39

Algumas doenças encontram seu ápice no verão, e a conjuntivite é uma delas. Caracterizada pela vermelhidão e inchaço nos olhos, é altamente contagiosa. O que nem todos sabem é que a conjuntivite não é transmitida pelo ar. A razão por trás desse mito é o fato de que basta encostar no muco, secreção, ou cumprimentar uma pessoa contaminada (e que não tomou providências de higiene das mãos e do rosto) para acontecer a transmissão. O mesmo acontece se a pessoa infectada compartilhar objetos pessoais com outros. Como toalhas, óculos, lençóis, fronhas de travesseiros etc. O ideal é que a pessoa com conjuntivite evite o contato com outros durante a fase de transmissão da doença.

Cintia Cunha, enfermeira responsável pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar - CCIH - do Hospital Escola Luiz Gioseffi Jannuzzi conta que Nos últimos 15 dias os índices aumentaram muito, em comparação ao mesmo período do ano passado. Em 2017 havia entre 10 e 15 notificações por dia e já neste ano são cerca de 80 a 135 atendimentos por dia. Ela explica que a conjuntivite é uma doença que se caracteriza pela inflamação da conjuntiva e é causada por agentes tóxicos, que podem ser alergias, bactérias ou vírus.

Tal aumento nos atendimentos alertou a direção do hospital para que fossem buscadas todas as medidas necessárias para prevenção e no atendimento, como treinamento dos profissionais de saúde, equipe multidisciplinar e até mesmo profissionais das áreas administrativas. Foi preparada uma sala de espera com pacientes que estão aguardando atendimento no Pronto Socorro e no Ambulatório, onde são orientados quanto à prevenção. Em algumas ocasiões, como aos finais de semana, o número chega a aumentar para 200 atendimentos de pacientes com conjuntivite.

Prevenção

De acordo com Cintia, algumas pessoas acham difícil de prevenir: “Algumas pessoas acham muito difícil porque elas têm a ilusão de que vem pelo ar, mas a gente pega principalmente através do contato, através das mãos”, explica que a prevenção é com a lavagem das mãos, uso do álcool em gel, evitar compartilhar toalhas de rosto, não compartilhar maquiagens de outras pessoas e óculos de natação, por exemplo. Além destas medidas, é importante que não sejam utilizadas pomadas e colírios sem a prescrição médica.

Sintomas

  • Irritação nos olhos ou olhos avermelhados;
  • inchaço nas pálpebras;
  • sensação de areia nos olhos;
  • intolerância à luz;
  • aumento da secreção ocular;
  • lacrimejamento.

Cintia alerta: “Ao apresentar estes sintomas, venha direto ao médico!” – o paciente será atendido através do Pronto Socorro e será feita o acolhimento com classificação de risco, direcionando ao médico plantonista. A enfermeira responsável do CCIH chama atenção para que seja tomada a medida infalível para conjuntivite: a lavagem das mãos, utilização do álcool em gel e evitar levar as mãos aos olhos.





FAA - FUNDAÇÃO EDUCACIONAL D. ANDRÉ ARCOVERDE | CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE VALENÇA
R. SARGENTO VITOR HUGO, Nº 161 | FÁTIMA - VALENÇA/RJ | CEP 27600-000 | TELEFONE: (24) 2453-0700

COPYRIGHT 2017 - CESVA FAA

WEBSITE DESENVOLVIDO POR